menina do mar

eu sou a manina do mar - J. Pedro Martins

uma janela se lançava ao mar
naquela tarde sem mergulho
pois chovia

pedras tilintavam na vidraça escorregadia
um céu cinza que ao sol cobria

a areia servia de colchão às conchas
os pés, delirantes nadadeiras,
galgavam o piso frio

de lá pra cá,
de cá pra lá

na insensatez de sereia
que no silencio da chuva
queria como canto uma simples
poesia

rosangela a.

2 comentários:

Ricardo António Alves disse...

lindinho :)

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Preciosa Poesía con un paisaje de melancolía y de belleza.
Vengo del blog de Cassandra Ferreira
-dizeres de uma alma- y me ha encantado tu espacio; por lo cual, si no te importa, me apunto como seguidor de tan bello Rincón.
Abraços.